Frequência

Flag Counter

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

O Delírio de Dawkins!

O fundamentalismo ateísta de Dawkins

Valdeci da Silva Santos

"O ataque à fé em Deus não é novidade, mas há ocasiões em que ele se apresenta mais intenso e agressivo. Um bom exemplo disso é o livro Deus,Um Delírio (Cia. das Letras, 2007), do biólogo naturalista inglês Richard Dawkins. Uma das principais teses de Dawkins neste livro é que Deus é um delinqüente psicótico inventado por pessoas iludidas. Para ele, a fé é “uma falsa crença persistente que se sustenta mesmo diante de fortes evidências que a contradizem” (p. 64, 29).

Além do mais, Dawkins declara o seu propósito logo no início do livro: 'Se este livro funcionar do modo como pretendo, os leitores religiosos que o abrirem serão ateus quando o tiverem terminado' (p. 29). Tal postura fundamentalista de Dawkins reivindica uma resposta, e esta foi a contribuição do casal Alister e Joanna McGrath ao escreverem O Delírio de Dawkins (Mundo Cristão, 2007).

Ex-ateu e professor de teologia histórica na Universidade de Oxford, na Inglaterra, Alister é doutor em biofísica molecular e em teologia histórica. É conhecido do público protestante brasileiro por sua Teologia Sistemática, Histórica e Filosófica (Edições Vida Nova, 2005). A esposa de Alister, Joanna McGrath, é professora de psicologia da religião na Universidade de Londres.

O casal uniu seus conhecimentos em diversas áreas da ciência no intuito de oferecer uma resposta cristã à acusação ateísta de Dawkins. Em O Delírio de Dawkins, os McGrath se propõem especificamente a avaliar a veracidade da crítica de Dawkins contra a fé em Deus. Certamente uma das dificuldades dos autores deve ter sido o volume da obra de Dawkins, pois, se alguém está tão seguro da inexistência do seu objeto de refutação, por que gastar tantas páginas com ele (cf. p. 12)? Se Deus é apenas um delírio, por que escrever tanto sobre ele?"

Para saber mais:
http://www.ultimato.com.br/?pg=show_artigos&secMestre=2042&sec=2054&num_edicao=309

Nenhum comentário: